segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Um ano novo renovado

Ontem, estava olhando para a minha agenda e percebi que só restava uma folha vazia, entitulada 31 de dezembro de 2007. Quando olhei para aquilo, dei-me conta de que há pouco tempo atrás aquela agenda era um livro novo, não tinha tantas coisas anotadas. Agora, resta uma folha.

Outro dia, percorria as páginas da agenda, olhando e relembrando de coisas que eu tinha para fazer e das coisas que eu fiz. Vi que muitas foram canceladas, outras aconteceram de forma ou em datas diferentes. Também tiveram muitas situações inesperadas que, talvez, nem deu tempo de anotar naquelas páginas.

Sabe, eu me dei conta de que trezentos e sessenta e quatro dias se passaram. E, não sei se por entusiasmo prolongado ou por esperança súbita, entendi que o último dia tem algo de especial. Ele, o 31/12, é um resultado daquilo que vivemos ao longo de todos aqueles outros. Ele é o último que antecede o primeiro.

Voltando à página em branco, ela me indicava que tinha ainda uma oportunidade em 2007. Não quero conferir um tom alienado de "viva esse dia como se fosse o último de sua vida" a isso, mas quero apontar para o valor que um simples dia tem em nossa vida.

Nessa época, recebemos muitos votos de "Feliz Ano Novo". Uma pessoa desejou algo diferente para mim e eu decidi aceitar. A sua mensagem dizia "que você tenha um ano novo renovado". O ano novo todos nós teremos querendo ou não, mas um ano novo renovado é diferente.

Renovação pressupõe ação, transformação, modificação e por aí vai. Simultaneamente, renovação aponta para um agente de mudança do status quo, ou do nosso mundinho. Quem será esse agente? Quem é que será capaz de fazer os meus dias e minha vida novos?

Eu desejo a você um ano novo renovado.

Um grande abraço.

Uma lembrança de renovo em 2007

No primeiro semestre de 2007, uma palavra de Jesus me marcou e mudou muito minha vida. Em Mateus 9.17 encontramos: "Nem se põe vinho novo em odres velhos; do contrário, rompem-se os odres, derrama-se o vinho, e os odres se perdem. Mas põe-se vinho novo em odres novos, e ambos se conservam".

O odre é uma bolsa de couro que servia para armazenar o vinho. Entendi que o odre falava de minha estrutura. Para entender e viver o "vinho novo", eu preciso abandonar meus velhos usos e costumes. Uma mudança de mente e coração se faz necessária para vivenciarmos a novidade do Evangelho na nossa vida diária.

O vinho, por sua vez, é uma bebida gerada pelo amassar e fermentar das uvas. A matéria-prima do vinho, a uva, encontra-se na videira. Jesus disse: "eu sou a videira verdadeira" (João 15.1). Nós somos os ramos da videira (João 15.5). O ramo precisa frutificar e isso só é possível conectado à videira. Da videira vem o sustento, a seiva para que sejamos capazes de produzir os frutos.

De estrutura renovada, tornamo-nos aptos para entender a simplicidade do Evangelho: cada vez mais nos vemos como pecadores redimidos pelo Cordeiro de Deus - Jesus Cristo; cada vez mais aprendemos a caminhar em dependência e obediência ao Senhor. Aprendemos a caminhar em submissão ao Espírito Santo. Viver o grande mandamento de amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos torna-se o nosso chamado e compromisso diário.

Ele mesmo vai fazendo novo o odre velho. Ele mesmo concede o vinho novo.

Porque dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas.

3 comentários:

Barbara disse...

Meu querido, Deus realmente te abençoaou com vários dons entre os quais o das palavras sejam escritas ou faladas. É tão lindaa forma como você lidas com elas, como faz uma poesia que nos faz refletir e desejar que o renovo tome conta de nossas vidas. Que o Senhor continue a fazer uso de cada dom que Ele te deu para que Ele sempre transpareça através de sua vida. Um 2008 renovado em nome de Jesus!

Angelina disse...

Edson, sempre com o dom da palavra! Aquela que toca em nosso interior e nos faz enxergar por outros lados.

Um ano renovado pra você também! ^^

Beijos!

Ronni disse...

Renova-me, Senhor!