quarta-feira, 9 de julho de 2008

Diante dos fatos

Dia 7/7/2007: cristãos de diversos lugares do Brasil se unem aos cristãos do Rio de Janeiro para declarar “Vem Jesus, Príncipe da Paz, estende os Teus braços sobre nós” na Praça da Apoteose.

Dia 7/7/2008: noticia-se na mídia nacional a morte inocente de João, um garoto de três anos, numa desastrosa ação policial na capital carioca.

Um ano depois de o ajuntamento acontecer na Cidade Maravilhosa, da Igreja reunir-se para declarar o reinado do Senhor Jesus sobre aquela cidade e sobre toda a nossa nação, somos abalados com essa notícia.

Na mídia, a discussão gira em torno da infeliz ação policial que resultou na morte do garotinho. Obviamente, os policiais envolvidos na ação são responsáveis diretos pelos seus atos. Fica também evidente o despreparo com o qual agiram. Também está explícito que a polícia carioca precisa resolver os seus problemas.

Fiquei pensando: a população carioca não tem paz; a polícia carioca não tem paz; os bandidos também não têm paz. Pronto, temos um cenário totalmente propício à guerra. Acredito que há paz para os criminosos, para os policiais e para a população. Entretanto, penso que essa paz precisa ser entendida e experimentada pessoalmente antes mesmo de rotularmos “civis”, “militares” e “bandidos”. Creio numa paz que transforma todos esses “rótulos” em homens e mulheres e trata deles/delas nessa instância. Essa paz que creio torna-nos todos igualmente carentes dela, pois basta ser humano para dela precisar. A paz que excede todo entendimento.

Há um ano, juntei-me a 100 mil cristãos e declarei: “Vem, Jesus, Príncipe da Paz, estende os Teus braços sobre nós”. Numa atitude profética, como povo do Senhor Jesus na Terra, erguemos nossas vozes para declarar que a única solução e a resposta suficiente para a falta de paz é Jesus Cristo.

Jesus é sim Príncipe da Paz, Ele tem poder e reina sobre toda a Terra. Ele quer reinar sobre indivíduos, quer sejam eles civis, militares ou criminosos, reconciliando-os com Deus e com os outros. A todos Ele acolhe em Seus braços pacíficos de perdão. O reinado dEle já é realidade: Sua justiça, paz e alegria têm transformado indivíduos, comunidades e nações ao longo dos últimos dois milênios.

Diante dos fatos fica difícil ter fé suficiente para enxergar os sinais do Reino de Deus em nosso meio. Diante dos fatos, parece impossível crer que há esperança e que há paz para o Rio de Janeiro. Mas, diante do Senhor, silencio em fé e continuo a crer que os braços de Jesus continuam estendidos sobre aquele lugar, prontos para acolher indivíduos desesperançados e inquietos pelo terror da violência.

Um comentário:

Nayara disse...

Oie Edson,
estive aki e gostei muito do seu blog......
Um abraço bem forte..........
Nayara