domingo, 24 de fevereiro de 2008

Do bacalhau

Uma das primeiras coisas que pensava quando ouvia "Noruega" era o famoso bacalhau e as primeiras posições do Indíce de Desenvolvimento Humano. Podia falar do IDH e o que tenho descoberto disso aqui, mas o bacalhau é mais engraçado.

Conhecemos o país como a "terra do bacalhau". O título até que pode ser verdadeiro, afinal o peixe é encontrado mesmo nas águas geladas daqui. Estava conversando com o pastor que me dá aulas de norueguês e ele disse que foi pescar há uns dias atrás. Perguntei que tipo de peixe ele tinha pescado e adivinha? Ele tinha pescado um bacalhau. Ele também esclareceu que não é tão comum assim fisgar um "torsk" (é o nome do peixe em norueguês).


A culinária norueguesa é rica no que diz respeito a peixes e frutos do mar. Pensei que o bacalhau fosse mais freqüente do que é de fato nas refeições aqui. Talvez, esse meu pressuposto seja de brasileiro que raramente pode degustar um bom bacalhau. Mas, falando sério, acredito que comi bacalhau só umas duas vezes aqui. Na verdade, nas duas vezes que me lembrei de perguntar antes de comer e eles me responderam o que era.


Nas despedidas que tive antes de viajar para a Noruega, o bacalhau aparecia. As pessoas falam constantemente dele. Fosse nos pedidos de presentes (veja só) ou no mistério da cabeça da criatura: lá estava o "torsk". Cheguei nas terras nórdicas procurando por ele, mas só o encontrava no supermercado - sem a cabeça não tinha graça - ou no prato. Tirar a foto e ter o registro da cabeça do bacalhau era uma questão de... curiosidade turística!


A busca continuava silenciosa. Na última terça-feira, visitei Bergen e lá tive o esperado encontro com o bacalhau completo e originalmente norueguês. O peixe é bonito. Digamos, tem uma cara simpática. Tem um fiapo de barba na parte inferior da boca - ao estilo bagre. Pode variar bastante de tamanho. Ainda tive a oportunidade de conhecer bacalhaus de classes diferentes: um reside num aquário, espécie de celebridade; e outros tantos que ficam à venda na calçada de uma das ruas principais de Bergen.

video

O encontro com os "bacalhaus de rua"


video

A exibição do "bacalhau de aquário"


Enfim, "Do bacalhau" está aí. E, para finalizar, fotos que mostram as cabeças - esclareço que a minha está em uma das imagens - do bacalhau.



Tenho que deixar aqui um "alô" para meu tio pescador, Carlos, e dizer para ele: Tio, está aí! O peixe tem cabeça mesmo!

3 comentários:

Thiago disse...

valeu Edson!
Post esclarecedor!
vou encaminhar pra todo mundo que me pergunta no Brasil!
abraco

Érica disse...

Eu confesso que já ri por causa dos bacalhaus.
Quando alguém perguntar sobre a cabeça de um,vou recomendar seu blog.
O que será que os bacalhaus estavam pensando,hein?rsrsrsrs

Barbara disse...

Oi meu querido, amei essa postagem, muito esclarecedoura para nós que tinmhamos essa curiosidade. Se der estamos esperando o bacalhau, pena que não dá tempo de ser pra Páscoa. Brincadeirinha, mas vc solucionou o mistério. grande bjo.