quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Esquiando

Eu vou lembrar dos dias 9 e 10 de fevereiro de 2008. Acredito que 21 é uma boa idade para se experimentar pela primeira vez na vida o esqui. A data foi marcante por isso. Junto de minha família norueguesa, pude conhecer e descobrir o que, de fato, é um esqui.

O lugar que testemunhou o fato chama-se Gullingen (região oeste da Noruega). O cenário, branco de neve. Os pequenos morros, algumas árvores sem folhas e, felizmente, algumas poucas pessoas são as testemunhas dos primeiros e engraçados tombos que marcam essa nova experiência.


De estréia, tive uma caminhada de esqui que durou cerca de três horas. O esforço não é nada diante das paisagens que pude encontrar. Enquanto olhava e contemplava, aproveitava para descansar as pernas.


E, por falar em pernas, esse esporte mexe com todo o nosso corpo. Para se manter de pé e conseguir ir para frente, cabeça, tronco e membros têm de estar ajustados e ativados. Como estreiante, o dia seguinte vem acompanhado de uma dorzinha incômoda nas pernas. Mas isso não impede você de aceitar mais uma "esquiada" e provar uma outra modalidade do esporte.

Assim aconteceu. Tentei também pela primera vez o descer de uma montanha no esqui. A modalidade que se chama, em norueguês, "slalåm" e, em inglês, "downhill" ou "alpine skiing". Traduzindo de maneira clara: consiste em subir uma montanha - com uma espécie de elevador - e descer esquiando. O esqui e os sapatos são diferentes do que se usa para a primeira modalidade que pratiquei.Esse você não pode tentar sozinho pela primeira vez mesmo. Cheguei lá em cima da montanha e disse para meu instrutor quando me deparei com a descida deslizante e contínua de uns quinhentos metros abaixo: "Uau! A gente tem que descer por aqui mesmo?".


Aos poucos, fui descendo, ziguezagueando a montanha. Quando a velocidade aumentava demais e eu não conseguia manejar os esquis para diminuí-la (pois é, você aumenta e diminui a velocidade com os seus próprios pés), a minha solução era assentar, ou melhor, cair de bumbum no chão.


Normalmente, a descida é rápida: cerca de um minuto ou menos para quem sabe. Lembro de um menino com cerca de nove anos que passou por mim três vezes. Acredito que a minha descida inaugural levou uns dez minutos. Mas o importante é que consegui chegar no pé da montanha novamente.


Mais uma experiência marcante.


video

2 comentários:

Érica disse...

Li sobre a sua aventura de esqui e parece que te ouvi falando.Que aventura,hein?
Gostei também do vídeo,quanto tempo não ouvia sua voz!

Abraços e saudades.
Fique com Deus e continue a desfrutar da multiforme graça que Ele tem a derramar sobre ti.

Eriquinha

Anônimo disse...

Primo,que emoção deve ter sido sua esquiagem.Ainda vou fazer isso um dia.O mais gostoso devem ser os tombos de bumbum na neve,hauahau.
Como o tempo passa rápido..daqui a pouco vc volta! Que bom!Estamos com saudades.
Bjus