quinta-feira, 16 de agosto de 2007

A "licão" do cedilha e outras mais

Pois é! Como você pode perceber, o cedilha já me deu uma lição aqui na Noruega. Ele não existe no teclado que digito essas palavras, ele não aparece pressionando "´+ c", ele só aparece copiando e colando de outro lugar. Isso não é tão cômodo como tê-lo no teclado, já prontinho, mas, enfim, é o jeito de lidar com o negócio.

Aqui no Hald Internasjonale Senter, a escola na qual estou, tem gente de vários países além dos noruegueses. Pra você ter uma idéia, fomos cantar uma música numa festa de boas-vindas e decidimos cantá-la nas línguas existentes entre nós... Quando fomos ver, tínhamos 12 línguas ao todo! Sem contar os possíveis dialetos dos colegas africanos.

Enquanto vamos aprendendo o norueguês aos pouquinhos, a única forma disponível para a comunicação é o inglês. Ah, mas está tudo bem... Pelo menos todos falam inglês e tals... Você não sabe como o inglês pode ser tão diferente! Tem gente da Tailândia e do Laos falando inglês, gente da Sérvia e Montenegro, da Uganda, Tanzânia, Quênia, Madagascar, gente da Noruega, gente do Brasil... Precisa ver o sotoque de cada um quando falam inglês. Pra entender essa multiplicidade, só com bastante calma e com o uso do famoso "I'm sorry! Can you repeat, please?".

De fato, é uma beleza diferente que cada um possui e leva um certo tempo para nos acostumarmos nesse convívio com outras culturas. Mas essa tarefa é altamente recomendável para descobrirmos que não somos "tão tudo" quanto nós pensamos.

Quero concluir essa postagem com uma história que ouvi de um irmão aqui no Hald. Preservarei seu nome e sua nacionalidade. Ele é de um país onde o Cristianismo não é muito bem-vindo. Se converteu através de um sonho que teve com Jesus e, assim, decidiu entregar-se ao Senhor, reconhecendo Cristo como seu Senhor e Salvador pessoal. Certa vez, ele estava compartilhando a Palavra, sua fé com algumas pessoas e a polícia o prendeu por dois dias. E, para finalizar, a família dele não sabe que ele está aqui para, além de tudo, vivenciar sua fé em Cristo, eles só sabem que ele está aqui para praticar mais o inglês.

Por essas e outras coisas, é que eu me pergunto: Que tipo de Cristianismo eu estou disposto a viver?

P.S.: Se você quer saber mais sobre a perseguição aos cristãos, acesse Portas Abertas

2 comentários:

Eriquinha disse...

Ao ler isto me fez pensar que a lição do cedilha é só o início de muita coisa que está por vir...
Abraços!!!

Ronni disse...

Que forte! Uma lição simples, mas cheia de significado!