sábado, 14 de julho de 2007

O dia em que decidimos caminhar

Era entardecer. Eu poderia ter ido de ônibus, táxi, carona... Mas decidi caminhar. Naquele momento, éramos eu e Ele e, de fato, uma excelente oportunidade para a conversa. A Avenida Brasil numa tarde de sábado não é tão ameaçadora e barulhenta. Margeando o Rio Paraibuna, deixando-me perceber as sutilezas encobertas pelo caótico dia-a-dia, seguíamos o nosso caminho.

E foi tão difícil aceitar a companhia dEle naquele dia. Eu resistia, insistia, teimava em confiar na minha auto-suficiência. Porém, a decisão de caminhar impediu que eu me escondesse em meio às tantas pessoas do ônibus, ou distraí-lo conversando com o motorista do táxi, quem sabe papeando com alguém que me desse carona. Enfim, Ele tinha escolhido a caminhada justamente para que eu O encontrasse, ou melhor, percebesse a Sua companhia.

O caminho foi se tornando interessante na medida em que permitia que as palavras dEle viessem ao encontro do meu coração, da minha mente, de mim. Decidi falar também, desculpar-me por atitudes que O ignoravam, desprezavam, coisas que não lhe davam o devido valor. Não tinha outro jeito. Ali, eu percebia o sentido do que é ser sondado e guardado por Deus. E mais, o que é desfrutar de um relacionamento sincero e profundo com Ele. Sabia que tinha o desafio de conhecê-Lo mais. Entendia o quanto Ele me conhece.

Percebi que o meu discurso foi tão intenso, tão cheio de palavras, expressões, lamentos, angústias. Pedia perdão, justificava umas coisas, desconversava em outras. Era uma conversa, eu tenho certeza, mas, no meu egoísmo, queria só falar, falar, falar... Até que as minhas palavras cessaram e senti-me convidado a olhar para aquele ambiente que me cercava.

O rio seguia seu percurso incessantemente. Passarinhos aproveitavam os momentos finais do dia como se ele estivesse começando. O sol abaixava-se por entre os morros e ainda lançava seus raios.

O vento soprou. Sussurrou em meus ouvidos. Alentou-me.

Simples e profundamente, pude ouvir o que Ele queria me dizer.

Em contraste com as minhas muitas palavras, bastou-me ouvir somente poucas dEle para que eu reconhecesse: Ele é o meu Deus. Todo o meu discurso findou-se. Suas palavras trouxeram-me verdade, direção e amor. A expressão do Senhor – aos meus olhos, pequena – revelou a mim quem sou eu e quem Ele é.

A caminhada chegava lentamente ao fim. E, simultaneamente, outra começava.

6 comentários:

Vera Lucia disse...

Ninguém está sozinho nas caminhadas quando existe dentro de si um Deus que nos aumenta a fé.

sarah disse...

Este é o nosso Deus!!Um amigo que nos acompanha dia após dia.
O mais lindo é que junto dEle nem sempre precisamos nos expressar através de palavras...Ele nos conhece em cada detalhe.
Ouvir o seu silêncio é algo desafiador para nós.Seu silêncio é dinâmico!Ele trabalha por aqueles que nEle esperam.=))
Um grande beijo.

carol disse...

OI mininu voc� � uma ben�o hahah Eu tamb�m sou t� Passei aqui apenas por duas vezes, uma apenas abri a p�g , hoje por�m li, e n�o contive o j�blio no meu cora�o ao ler a sua caminhada pelo rio.
Pensei que fosse pela semelhan�a, afinal essas caminhadas me s�o constantes.. Mas n�o, o j�bilo veio por ver tamanha humanidade e transforma�o, por ver homem e Deus em harmonia perfeita de rela�o...
Infi�is, sim ! Somos infi�is. Falhos, Sim! Somos falhos..Mas Somos tamb�m preciosos aos olhos do Grande Deus..
Deus te aben�oe.... Alias continue nos aben�oando

Carol

Eriquinha disse...

A gente tenta fugir,mas quem somos nós perante Deus?Ele quer falar,mas a gente foge.Aí,por vezes,são necessários momentos assim:Deus e nós. É interessante porque Ele até separa as pessoas de nossa companhia para ter um "particular" conosco.
E Ele fala,fala,de forma tão simples e nítida que nos deixa constrangidos por tanto amor.
Que nossos ouvidos estejam sempre sensíveis à voz Dele - ainda que seja o sliêncio.Paradoxo,sim...mas Deus trabalha além da nossa racionalidade.
Termino com a frase já tão conhecida: " Deus não é gente não"...e com o deso de que momentos assim sejam constantes,porque sem a presença de Deus nas nossas vidas quem somos nós?Ao invés de fugas,que haja encontros,busca,aproximação...

Karine disse...

Seu Blog tá lindoooo! E que palavra edificante!
Primo,saiba que eu te amo demais e vou sentir saudades suas.Mas eu sei que Deus ñ te fez p/ nós,ñ é mesmo?!Nós somos dEle..Você é dele!rss..
Que Deus te use onde quiser!!
Abraço daqueles beeem apertados**

Ronni disse...

Tremendo! =)